sexta-feira, novembro 20, 2009

Pedaço de vida, pedaço de alma.
Pedaço dele próprio descansando no ventre daquela que o completa.
Que aquele pedaço era seu, que era também dela e era ainda mais outro pedaço que não pertencia a nenhum dos dois.
E que quando a semente virasse planta finalmente, ele iria todos os dias olhar nela tudo aquilo que era a mãe: em seus cabelos, compridos em cachos, em suas sardas, nas três pintas do ombro esquerdo.
Pedaço de ser que era o seu amor depositado no fundo da alma de mulher.

- Vai se chamar Cora, disse, apoiando as mãos com zelo na barriga de vida da outra.



" De anca na anca dela
E amanheça de cabeça dentro dela
"

7 comentários:

Bianca Burnier disse...

"...em suas sardas, nas 3 pintas do ombro esquerdo"


Eu te amo demais meu bem!!

Clara disse...

Lindo!

Ágata. disse...

Muito lindo. Amei.

Clara disse...

?!

chayenne f. disse...

Belíssimo, quero procriar por todo o universo pra sempre.

Igor Dorneles disse...

nem sei descrever o que me passou.

Clara disse...

Chay e seus vinte e três maridos.