quarta-feira, outubro 15, 2008

Na verdade eu só fiz um blog porque eu acho digno. Faz parecer que você sabe escrever bonito.
E também porque pode convidar pessoas a escreverem com você. Isso sim é digno. Fotolog é muito solitário. Solidão é vazio. E vazio é oficina do Diabo.
Hoje eu quero tirar férias do inferno.

12 comentários:

Ferreira, Lai disse...

dingíssimo, minha senhora.
E belíssimo, também.

Daniel disse...

Sabe, o vazio é a única esfera onde as coisas podem se mostrar como de fato são.

E o inferno, bem, o inferno são os outros. As férias do inferno se lhe retornam: são a própria solidão.

Mas tudo bem, porque sendo a solidão vazio, você pode se mostrar nela - mostrar-se como de fato é.


; )

Ferreira, Lai disse...

Essa frase aí "o inferno são os outros"...Ela tá certa??
Porque o verbo teria que concordar com o sujeito e não com o objeto direto, portanto o correto seria "o inferno é os outros".

Por mais feio que fique.

Bruna Morgan disse...

Adorei!

Ferreira, Lai disse...

Se não encontrar o dicionário é perder as chaves de casa, então você mora num dicionário??

Eu não acredito. Chay não é um vocábulo. Chay ocuparia um dicionário todo, só com a introdução. E mesmo assim, dicionários não passam de metalingüagem redundante.


PS: Deixando clara aqui a minha indignação com a unificação da Língüa Portuguesa. Agora uso tremas como nunca usei antes.

chayenne f. disse...

sempre gostei de tremas.
e não, eu não sou um dicionário. eu quis dizer que é como perder as chaves de casa porque fico sem saber pra onde ir. eu preciso de explicação pras coisas, mesmo que seja apenas metalingüagem.

Ferreira, Lai disse...

Ah, sim.
Bem, acho que uma idéia do que se fazer quando não se tem pra onde ir é criar o seu próprio lugar, mesmo que imaginário. É um pensamento meio autista, meio tenho 5 anos e um amigo imaginário, mas é apenas paliativo, placebo mesmo. Talvez nem funcione, mas pelo menos vai te distrair um pouco.
Ou não.



E sim, espero que agora as pessoa notem a diferença que a trema faz.
=]
Ou pretende fazer.

chayenne f. disse...

sim, nos encontramos num dos meus próprios lugares no momento, mas a necessidade de saber o significado das coisas é um dos pilares de tudo.

e falou de placebo me desconcentrei toda.
s2

uehuehe

Daniel disse...

Parafraseei a tradução de alguém do Sartre, não me culpe pela gramática dele (não deixo claro se do tradutor ou do autor - porque na verdade não sei).

Na verdade o que se está fazendo aqui é uma meta-metalinguagem, e isso não é de modo algum menor. Acho mesmo que querer o significado é uma coisa legal, mas não sei se a imagem do pilar é boa. Uma melhor seria uma bola daquelas de demolição, ou uma banana de dinamite, ou sei lá.



Enfim, meu e-mail é eucomocouve@yahoo.com.br


^^

chayenne f. disse...

eca, 'cê come couve?
xP

Daniel disse...

Adoro couve (como até pedra - só não como canja de galinha e alecrim)!!
Mas tem uma outra história por trás. Re rê.

chayenne f. disse...

canja de galinha é horríveeeeel! >_<