domingo, novembro 09, 2008

Eu sou também o que eu não gosto de ser.

(Surra no blog, Chay?)
Na verdade a surra é em mim, porque eu não tô me controlando hoje, desculpe a confusão.
Eu tinha postado isso em um dos fotologs, mas fiquei sem entender o porquê. Tem coisas que eu posto aqui, tem coisas que eu posto em outro lugar. Como se cada coisa tivesse seu lugar pra ser dita, sabe? Isso não existe. Por exemplo aqui: eu não tenho só esse lado que eu moldo como lado de absorção. Existem tantos lados, falta tanta coisa e a falta vai fazendo furinhos nos lados e invadindo o externo até um ponto que eu não sei qual é.



"it feels like a hundred years.
e eu nem gosto de the cure, mas é o mais próximo que ultimamente tenho chegado do que eu quero, sem abstrações vazias no intervalo de piscares de olhos que pretendem sem modéstia um teletransporte desregulado. sem preocupações quanto a espaço e tempo, desde que me leve ao que eu quero.
enquanto isso, tudo parecerá como se fossem cem anos. e sem a mínima pressa.

caralho, eu vou ficar maluca.
é um turbilhão de coisas e pessoas e lembranças e esperanças
e sorrisos e sussurros e lágrimas e barulho
que eu já não sei mais até que ponto é tudo verdade ou saudade.

é a vontade de gritar mas de falar baixinho no ouvido, mas de só olhar e gritar do jeito mais alto que é possível, que na verdade é silêncio.

e quando eu encontrar [ou "encontrei" ou "tendo encontrado"], citando sentindo e lembrando Lispector, eu tenho medo de que a vontade de gritar não pare. continuará tudo sendo incerto, apesar da certeza de que é certo. e a necessidade tomará o lugar da vontade. e finalmente a inutilidade tomará o lugar da necessidade. então o ápice. e é por aí que eu vou saber que eu nunca soube [e não estarei sabendo ainda] quem eu sou."

4 comentários:

chayenne f. disse...

Sempre válido relembrar que nem sempre quando as coisas rimam é intencional ou afeição à escrita em versos.
Porque eu não gosto de rimas nem de versos.

Porra! Mas eu sou também o que eu não gosto de ser.

*ok, desisto, o nome disso é conflito existencial*

Bianca Burnier disse...

Quero ouvir seus gritos e sussurros...

chayenne f. disse...

ai Carol, você me embaraça.

Daniel disse...

Porra, nem tem nada a ver eu comentar aqui, mas é que eu preciso muito saciar minha vontade momentânea bizarra de escrever publicamente, e os blogs me convidam muito a fazer isso.

Então foi mal ai escrever no post gay de vocês.





>: )