segunda-feira, novembro 24, 2008

Sem Palavras

"Eu sei que nada tenho a dizer,
Mas acabei dizendo sem querer
Palavra bandida!
Sempre arruma um jeito de escapar

Seria tudo muito melhor
Se a música falasse por si só
Da raiva, da vida
Nada existe sem classificar

Penso, tento
Achar palavras pro meu sentimento
Tanto é pouco, nada diz
Não é triste, nem feliz

Mesmo sendo
Um pranto, um choro ou qualquer lamento
Nada importa, tanto faz
Se é pra sempre ou nunca mais

Pensei em mil palavras, e enfim
Nenhuma das palavras coube em mim
Não vejo saída
Como vou dizer sem me calar?

Diria mudo tudo o que faz
Minha vida andar de frente para trás
Uma frase perdida
Num discurso feito de olhar

Não é meigo, nem é lindo
Não é raso, não é pouco, nem é tudo
Não é fato, nem é mito
Não é raro, não é oco, nem é nulo
Não é isso, não é outro
Não é chato, não é mito, não é chulo
Não, não, não, não

Eu sei que nada tenho a dizer
Pensei em mil palavras, e enfim
Seria tudo muito melhor
Pensei
Seria
Se um dia alguém puder me entender"


Consideração 1: O cd novo do Móveis vai vir rasgando.
Consideração 2: Parei.

7 comentários:

Ferreira, Lai disse...

Tá, seria uma música by móveis ou by Chay?
õ.o

chayenne f. disse...

É a nova do Móveis, baixa lá do TramaVirtual. :D

Quem me dera escrever músicas..

Daniel disse...

Já tentou?

chayenne f. disse...

Não, é poesia demais pra mim.
:~

Daniel disse...

^^

É estranho né? Fazer poesia pra ser cantada hoje em dia é bem diferente de fazer poesia pra ser lida.

O que não faz sentido nenhum, já que poesia é uma construção própria do canto.

chayenne f. disse...

Isso é estranho sim..

Mas eu continuo não sendo boa nem em poesia cantada, nem em poesia lida.

:/

Daniel disse...

Ah, você escreve poesia. Só que em prosa.


o_O

É, isso mesmo.